Entenda o IRRF na nota de corretagem

O Imposto Retido na Fonte (IRRF) sobre operações na bolsa de valores é uma pequena parcela de imposto que já fica retida pela própria corretora de valores.

Nas notas de corretagem aparece especificado como:

I.R.R.F Day Trade: Base R$ 0,00 Projeção R$ 0,00
I.R.R.F s/ operações, base R$ 0,00 0,00

No IRRF DayTrade, a “base” é o lucro ou prejuízo do dia obtido com day trade. Já no I.R.R.F s/ operações, a “base” é o volume de vendas relativo às operações normais. Ou seja, é a base de cálculo para o imposto retido na fonte.

O fato de ter gerado IRRF não significa que você precisa pagar mais imposto, mas também não significa que você está em dia com a Receita Federal. É necessário analisar a situação, pois o “verdadeiro IR” que precisa ser pago é 15% sobre lucro de operações normais e 20% sobre o lucro Day Trade:  Como o IRRF já é uma pequena parcela de IR, posteriormente ele pode ser usado para abater do valor de IR que falta pagar (via DARF 6015) no mês de apuração ou de meses subsequentes. Vale lembrar que o IRRF só pode ser usado para abater do IR a pagar até o final do mês de dezembro do ano-calendário que ocorreu a retenção.

IRRF nas operações normais:

Nas operações normais fica retido 0,005% sobre o total da venda independente se houve lucro ou prejuízo. Porém ele só é de fato retido se o valor de IRRF ultrapassar R$ 1,00 no acumulado mensal. Caso não ultrapasse R$ 1,00 no acumulado mensal, os valores de “IRRF s/ operações” discriminados nas notas de corretagem não serão cobrados.

IRRF nas operações normais:

Para as operações Day Trade o cálculo é 1% sobre o lucro, se houver, do conjunto de operações Day Trade realizadas no pregão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *